Mulher resgatada de trabalho análogo à escravidão comemora aniversário pela primeira vez na vida: “Hoje eu vivo”

Matérias Oficiais(+10% Clicks) Yasmim 14/07/2021 Relatar Quero comentar

O caso de Madalena Gordiano ficou famoso no ano passando quando ela conseguiu, após décadas, se libertar de um trabalho análogo à escravidão. 

Foram 38 anos vivendo desta forma. Desde os 8 anos de idade Madalena trabalhou como doméstica para uma família.

No final do ano passa Madalena contou como chegou nessa condição. Ainda criança, ela bateu na porta da casa da professora Maria das Graças Milagres Rigueira para pedir comida.

“Fui lá pedir um pão, pois eu estava com fome, ela falou que não me dava se eu não morasse com ela”.

A matriarca da família se ofereceu para adotá-la e a mãe de Madalena, que tinha nove filhos, concordou. Mas a adoção nunca foi formalizada.

Depois de 24 anos, a diarista foi trabalhar para o filho de Maria das Graças, o professor Dalton César Milagres Rigueira, onde vivia nas mesmas condições e de onde foi resgatada, em Patos de Minas.

Ela foi finalmente resgatada pelas autoridades no dia 27 de novembro de 2020. Agora, Madalena vive uma vida nova e feliz.

“Nunca fui feliz assim. Antes eu era triste. Muito triste. Hoje eu sinto que estou bem. Coração limpo. Estou libertada. Estou livre”, contou ela

Agora livre, Madalena pode aproveitar tudo o que nunca tinha conseguido. Pela primeira vez ele conseguiu ir à praia e voltou a estudar. E, finalmente, pode cuidar da aparência algo que lhe era proibido.

“Não podia fazer unha, passar um esmalte vermelho. Hoje eu já passo vários esmaltes e tenho três cabelos”, ressaltou.

Enquanto o processo contra o professor Dalton Rigueira segue nas Justiça, pela primeira vez desde criança, Madalena comemorou seu aniversário com dignidade, alegria e uma mesa farta.

Comentário do usuário
Você pode gostar